Pragas


Baratas

As baratas possuem a capacidade de se adaptarem e se instalarem nos mais variados tipos de ambientes, possuem também uma alta capacidade de reprodução, principalmente naqueles ambientes em que hajam fontes de alimentos. Por ocuparem ambientes contaminados, principalmente esgotos e lixeiras, são potenciais transmissores de diversos tipos de doenças, como salmonelose, infecções causadas por E. coli, candidíase e teníase, por intermédio de agentes contaminantes (fungos, bactérias, protozoários e vírus); as espécies mais comuns de se encontrar são a blattella germânica (francesinha) e a periplaneta americana (barata de esgoto).

Formigas

As formigas possuem diversas espécies e estão presentes nos mais variados tipos de ambientes, embora sua presença, algumas vezes, não cause repulsa, são insetos potencialmente transmissores de doenças, pois além transitarem por vários ambientes, muitos deles contaminados, algumas espécies, se alimentam de restos de outros animais, fezes ou outros materiais orgânicos que possuam compostos de açúcares, além de transportarem pelo corpo diversos microrganismos causadores de doenças as formigas podem ser responsáveis por comprometer o funcionamento de partes elétricas ou de componentes eletrônicos.

Roedores

Os roedores urbanos, como são considerados ratazanas, ratos de telhados e camundongos, estão entre as principais espécies que causam riscos à Saúde Pública, devido sua existência estar fortemente ligada ao ambiente urbano e à presença do homem, eles se valem da grande produção de lixo sem a adequada destinação aliada à sua alta capacidade reprodutiva, faz com que a sua infestação se dê de forma muito rápida. Para se ter uma ideia, estimasse que para cada habitante da cidade de São Paulo, exista 5 roedores vivendo nas galerias de esgoto; esses roedores são transmissores de diversos tipos de doenças, tais como: leptospirose, tifo, peste bubônica, Hantavirose, desinteria, dentre outras.

Cupim

Dentre as principais espécies de cupins, temos o Cryptotermes brevis, popularmente conhecido como “cupim de madeira seca”, é a espécie que mais causa danos nas construções urbanas, essa espécie constrói seus ninhos nas estruturas de madeiras de construções ou no mobiliário de madeira dos imóveis, raramente afetam o solo.

A outra espécie é o Coptotermes gestroi, é conhecida popularmente como “cupim subterrâneo”, sendo a espécie que mais prejuízo causa ao homem, pois além de infestar madeira, eles também podem afetar paredes e pisos, e também atingirem a rede elétrica, podendo provocar incêndios.

Broca

As brocas são besouros que passam pela transformação completa (ovo, pupa, larva e adulto) e, durante o seu estado larval, se alimentam de madeira (seca, viva ou em decomposição). Existem várias espécies que habitam tanto em áreas silvestres quanto em áreas urbanas. Deixam um furo quando saem da madeira ao atingirem a fase adulta.

Mosquitos

Os principais gêneros são: Culex (pernilongo) e Aedes - (o “mosquito da dengue”). O Culex mede cerca de 4 mm e possui coloração marrom. Possui hábito alimentar noturno e coloca seus ovos em forma de “jangada”. Já o Aedes mede cerca de 7mm e possui coloração preta com faixas brancas. Possui hábitos diurnos e coloca seus ovos em grupos e geralmente nas bordas dos locais de postura. Estão relacionados a doenças como: Dengue, Chikungunya, Zika e Febre amarela.

Carrapatos

Encontrados em todo o mundo, os carrapatos são ectoparasitos de animais vertebrados. Possuem uma fase de parasitismo e uma de vida livre. Se fixam nos hospedeiros principalmente na fase de ninfas e na fase adulta.

Além de serem vetores de doenças, os carrapatos causam grande desconforto por conta da coceira que costumam causar, tanto em animais quanto no homem.

As principais espécies são o carrapato vermelho do cão (Rhipicephalus sanguineus) e carrapato estrela (Amblyomma cajennense).

Estão relacionados à doenças como febre maculosa brasileira e a doença de Lyme.

Traças

Conhecidas como traças de roupas, são mariposas em seu estado jovem (lagarta). Possuem um envoltório achatado (casulo), onde ficam enquanto se alimentam e se locomovem. Possuem cerca de 1,5cm, se alimentam de roupas de fibra natural, celulose e tecidos com restos de comida, secreções e suor. Costumam habitar locais como museus, bibliotecas, armários e outros locais favoráveis (quentes e úmidos).

Não estão relacionados à doenças, seu impacto está relacionado a destruição de roupas e livros.